Embarcações Militares

Esta é sem dúvida uma das melhores explorações que já passaram por este blog, não é todos os dias que existe a oportunidade de ver o interior de embarcações militares portuguesas.

Antes de mais gostaria de indicar (porque já sei que vão chover perguntas) que apenas é possível visitar estas embarcações com uma autorização especifica para tal, e que as embarcações na realidade estão devolutas e não inteiramente abandonadas, pois são vigiadas e apenas estão a aguardar um novo destino.

Também gostaria de indica que não vou referir o local onde estão (embora seja óbvio) e que as embarcações embora pareçam completas na verdade estão totalmente despidas de artigos com características militares, tudo o que era de valor militar já foi retirado das embarcações.

Tal como um carro estas embarcações também têm um tempo útil de vida, e por razões de idade, deixaram de ter interesse militar. Normalmente estas embarcações tem três destinos possíveis, serem usadas como pólo museológico, desmanteladas ou afundadas para criar um recife. As corvetas estão desactivadas desde 2007, e aguardam um novo destino.

Nas fotografias é possível ver duas corvetas, um submarino e três embarcações auxiliares mais pequenas. Custa-me um pouco ver estes navios há anos desactivados e a agonia lenta a que têm sido sujeitos. Olhar agora para eles torna-se difícil relembrar os mesmos navios quando estavam operacionais.

O submarino nas fotos chama-se “Delfim”, foi em 2000 que foi desativado após 37 anos de actividade. O Delfim é um dos quatro submarinos da classe Albacora, actualmente todos eles desactivados. Um deles (o Barracuda) foi o único a ser transformado em núcleo museológico.

O submarino Delfim foi lançado à água a 23 de Setembro de 1968, em Nantes (França), e entrou ao serviço da Armada Portuguesa a 01 de Outubro de 1969, sob o comando do então capitão-tenente Costa Monteiro. Depois de desactivado, os planos do Delfim passavam por ser transformado num espaço turístico de visita, projecto a ser realizado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, mas não aconteceu infelizmente.

André Ramalho

Sou um apaixonado por fotografia e locais abandonados, e por isso resolvi criar este blog, com o intuito de partilhar os meus registos e aventuras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *