Casa do Eng. Lima

Tive a oportunidade de visitar esta casa duas vezes, num espaço de um ano e meio. Voltei a segunda vez, porque não me senti satisfeito com as fotos que tirei durante a primeira visita e porque queria de saber como estava a casa. As diferenças entre a primeira visita e a segunda eram poucas, infelizmente desapareceu o rádio que veem nas fotografias, acabei por utilizar fotos da primeira e segunda visita nesta publicação.

Esta é daquelas em que, passando na estrada que lhe fica próxima, é óbvio que está abandonada. A degradação é evidente e talvez mais pessoas não reparem nela porque fica numa curva, embora seja uma casa extremamente imponente por fora. Consegui descobrir algumas informações sobre a casa através de algumas cartas que encontrei num dos quartos e com o nome do proprietário, acabei por encontrar o nome pelo qual a casa era conhecida, o motivo do abandono e algumas histórias sobre ela.

O dono da casa, o Eng. Lima (era assim chamado pelas pessoas daquela vila) tinha vários negócios ligados à agricultura e viticultura e teve 4 filhos, duas raparigas e dois rapazes que cresceram nesta casa. Um dos filhos, o mais velho infelizmente sofreu um acidente viação com a filha, na altura uma bebé, os restantes três filhos emigraram para o Brasil e vinham a Portugal, mas apenas ocasionalmente.

Ao lado desta imponente casa, ficava a casa dos caseiros (hoje em dia em avançado estado de degradação). A senhora Maria tomava conta da casa, juntamente com o marido, cozinhava e garantia que não faltava nada ao Eng. Lima e à sua esposa.

Após o falecimento da esposa do Eng. Lima, o mesmo ficou a morar sozinho nesta enorme casa, acabaria por ter vários problemas de saúde e mobilidade, falecendo alguns anos depois. Na altura os herdeiros, chegaram a receber algumas propostas pela casa, para se tornar numa pousada, mas o negócio por alguma razão não foi realizado. Os herdeiros ainda estão atualmente no Brasil e segundo consta, não vêm cá há muitos anos, o que explica o estado atual da casa.

Curiosamente, o verdadeiro nome da casa era “Casa Branca” e atualmente a casa é realmente branca, pelo desgaste do tempo, mas na altura em que era habitada era cor-de-rosa. O nome foi escolhido porque havia uma ameixoeira de ameixas brancas nas traseiras da casa, uma fruta que não era muito comum existir naquela zona. O povo começou a falar da “casa das ameixas brancas”, mas a certa altura passou apenas para “casa branca”, que servia de referência à ameixoeira. Infelizmente, durante a minha visita, não reparei se a ameixoeira ainda lá está, presumo que não.

André Ramalho

Sou um apaixonado por fotografia e locais abandonados, e por isso resolvi criar este blog, com o intuito de partilhar os meus registos e aventuras.

8 thoughts on “Casa do Eng. Lima”

  1. Hi André! I’m going to Portugal in October and was wondering if you want to exchange some coordinates. I have LOTS in Sweden and also some places in Germany and other places in Europe. Good day!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *