Casa do Fiat 600

Uma casinha com um segredo bem guardado, é a melhor forma de descrever este local que tive a oportunidade de visitar há cerca de três anos. Os proprietários desta casa eram donos de uma mercearia, e viveram no local até falecerem. Para além da casa, tinham um anexo que era usado como local de festas e outros eventos do mesmo género. Após o falecimento do Sr. Joaquim e da Sra. Almerinda, a casa foi deixada aos herdeiros, mas nunca mais foi habitada ou utilizada com frequência.

A mercearia ficava no rés de chão da propriedade, e está actualmente inacessível. A casa fica por isso no primeiro andar, e no decorrer da exploração, descobri num dos quartos vazios um alçapão, estranho eu sei, mais estranho é que efetivamente o alçapão dava acesso a outra área da casa, uma garagem que fica também no rés de chão da propriedade.

Ao espreitar cuidadosamente pelo buraco, noto que ao fundo estava um pequeno carro azul bebê, o objetivo naquele momento passou obviamente por conseguir descer e ter acesso ao veículo para tirar algumas fotos. Não foi fácil, o buraco era apertado, e era preciso descer por um amontoado de lixo e móveis antigos, mas passado um pouco já tinha os pés firmes ao lado do carrinho.

Tratava-se de um Fiat 600 (alterei a matrícula nas fotos para proteger o veículo) muito bonito e em muito bom estado. O meu pai chegou a ter um mini (sim, obviamente não é a mesma coisa), mas fez-m lembrar esse carro, e fez-me pensar como era giro ter um clássico destes na minha garagem, talvez um dia.

Este local encontra-se em avanço estado de degradação, em uma das fotos é possível ver uma cómoda que está a ser literalmente engolida pelo buraco que existe no chão, esse quarto em específico tive tirar a foto do lado de fora, encostado a porta porque realmente o piso estava muito perigoso.

Espero que o Fiat 600 acaba por ser resgatado um dia, felizmente está guardado, acho sinceramente que já nem os vizinhos se lembram que carro lá está, é um segredo muito bem guardado e continuando em bom estado é provável que um dia volte à estrada.

André Ramalho

Sou um apaixonado por fotografia e locais abandonados, e por isso resolvi criar este blog, com o intuito de partilhar os meus registos e aventuras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *