Mármores do Sr. Augusto

Já andava de olho nesta fábrica há imenso tempo, provavelmente uns 2 ou 3 anos, mas são tantos os locais abandonados que tenho no mapa para visitar, que fui sempre adiando.

Por vezes perguntam-me se tenho muitos locais marcados para visitar. A palavra “muitos” não chega para descrever os pontos todos que tenho marcados no mapa, acho mesmo que se ganhasse o Euromilhões e pudesse assim ir fotografar locais abandonados todos os dias, não ia ter tempo suficiente para visitar tudo. Até porque vão aparecendo lugares novos todos os dias.

Mas também verdade seja dita, eu gosto muito de fotografar locais abandonados, mas a minha prioridade é claramente a família e amigos, obviamente. Para além disso, tenho outros hobbies, não sou o género de pessoa que tenha apenas um e ultimamente até ando a dar prioridade a outras atividades, mas o bichinho dos abandonados está sempre presente.

Esta fábrica foi construída nos anos 80 e parou a sua atividade em 2009, depois de entrar em processo de insolvência. Como é costume verem neste blog, é mais uma que ficou com as máquinas e equipamentos todos no interior.

Foi durante muitos anos a paixão do Sr. Augusto, que sempre desejou ter a sua própria empresa, com muita experiência no manuseamento e tratamento de peças de mármore. Nada mais sensato que abrir o seu negócio, que foi evoluindo e expandindo durante cerca de 20 anos, até chegar ao tamanho de fábrica que vêm nas fotos. Contaram-me que infelizmente o Sr. Augusto faleceu em 2007, que a fábrica foi vendida pelos filhos e que inclusive mudou de nome nessa altura, mas os novos donos não conseguiram gerir o negócio de forma sustentável e daí ter entrado em processo de insolvência.

Nota-se que os “larápios” já andaram por lá, mas a maquinaria ainda resiste. É um local enorme, principalmente em comparação a outras fábricas de mármores que já fotografei. Estive cerca de 2h no seu interior e pensei voltar novamente para tirar mais fotos, mas quando cheguei a casa apercebi-me que já tinha imensas e que não valia a pena.

Quem fotografa locais abandonados e gosta de fazer boas fotografias, fica sempre com aquela sensação que faltou um ângulo qualquer ou que a luz naquele dia não era boa e que o melhor era voltar noutro dia. Mas já se perde imenso tempo a ir aos lugares uma vez, quanto mais ir duas ou três.

André Ramalho

Sou um apaixonado por fotografia e locais abandonados, e por isso resolvi criar este blog, com o intuito de partilhar os meus registos e aventuras.

2 thoughts on “Mármores do Sr. Augusto”

  1. É triste.
    Já fui a uma fabrica de marmore no activo e acompanhei todo o processo, desde a extraccao ao corte, polimento e transformação. É uma arte. E uma beleza.

    Lamento que o sonho de uma pessoa morra com ela. Mas é a vida…

    1. É mesmo assim… Neste caso uma fábrica, mas quando falamos de casas a situação é a mesma. Quantas pessoas não trabalharam uma vida toda para pagar uma habitação e depois acabarem abandonadas também? Valeu o esforço? Enfim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *