Mosteiro de Verride

O Convento de Almiara, também conhecido por Mosteiro de Verride, foi classificado, pelo Ministério da Cultura, como monumento de interesse público, mas mesmo assim encontra-se num estado de conservação bastante mau.

Situado em Montemor-o-Velho, construído num terreno doado em 1194, aos Frades do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Foi construído com a intenção de ser um local utilizado pelos frades para descansarem e passarem o verão junto ao rio Mondego.

Foi utilizado pelos frades até 1834, sofrendo intervenções e remodelações com o passar dos anos. O interior do mosteiro era decorado com painéis de azulejos nas paredes e chão de mármore, numa das salas tem um torreão no teto, um incrível fresco barroco de 1755 que representa as armas de Portugal e a ordem dos frades de Santa Cruz.

Ficou abandonado, depois de serem extintas as ordens religiosas em 1834, não só este, mas muitos mosteiros por este país fora. Do edifício primitivo pouco resta, havendo agora um imóvel que, apesar do seu estado de quase ruína, ainda consegue mostrar características dos séculos XVII e XVIII. Nas salas deste mosteiro, apenas ficaram vestígios dos azulejos, que foram obviamente roubados. O Mosteiro também sofreu alguns atos de vandalismo, que infelizmente já é de esperar neste tipo de locais.

A capela, apesar de em parte ter sido despojada, é de boa arquitetura, possuía altares de talha com qualidade, boas cantarias e, sobretudo, esplêndidos lambrins de azulejos. A autarquia refere que, “apesar de não se conhecer o projeto arquitetónico do século XVIII, é possível verificar que ficou incompleto, dado que a grande fachada deveria terminar com outro torreão”, identificando também que “zona habitacional apresenta vários vestígios interiores de qualidade, como o refeitório e salas com ótimos acabamentos dos Sec. XVII ou XVIII.”

É atualmente um local que serve de casa para muitos morcegos ou pelo menos era, quando fiz a minha primeira visita há uns anos atrás, durante uma segunda visita que fiz recentemente não os vi. É daqueles monumentos que tenho a certeza que mais tarde ou mais cedo vai cair, mas enquanto não acontecer, vale a pena visitar e apreciar.

André Ramalho

Sou um apaixonado por fotografia e locais abandonados, e por isso resolvi criar este blog, com o intuito de partilhar os meus registos e aventuras.

2 thoughts on “Mosteiro de Verride”

  1. Sou VERRIDENSES,até faz doer o coração em ver a quinta da Almira,no estado que está.
    Tenho 57anos, mas lembro me de ser habitado por uma Senhora D.Margarida.
    Entrei lá algumas vezes…era lindíssimo 😢

  2. É uma tristeza abandonarmos o nosso património assim, é revoltante. Vemos os nossos governantes a gastarem o nosso dinheiro em tanta coisa sem valor nenhum para a nação e estes sítios, que são parte de todos nós, da nossa cultura, da nossa história como povo, simplesmente deixam-nos ruir e cair no esquecimento de todos. Não há dúvidas em afirmar que, independentemente da cor que ostentam, a classe política nacional é constituída por elementos muito fracos, deficientes até.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *